Grupos de Pesquisa

Laboratório de Análise Térmica, Eletroanalítica e Química de Soluções


Histórico

O Laboratório de Análise Térmica, Eletroanalítica e Química de Soluções, LATEQS, foi criado em 1998 junto ao DQ-UFSCar, sob liderança do Prof. Dr. Éder Tadeu Gomes Cavalheiro, estando cadastrado no sistema LATES desde aquele ano. Desde sua criação o grupo vem se dedicando ao estudo do comportamento térmico de complexos metálicos, fármacos e biopolímeros; desenvolvimento de eletrodos modificados para determinação de moléculas de interesse biológico e contribuições ao ensino de química. Atualmente com a transferência do líder do grupo para o IQSC/USP, juntamente com os alunos de todos os níveis e os equipamentos e insumos, o grupo será retirado do cadastro da UFSCar e pretende-se sua implantação na nova Instituição. No IQSC as atividades de pesquisa vem sendo desenvolvidas no espaço físico também ocupado pelo Grupo de Química Analítica e Tecnologia de Polímeros.

Infraestrutura

O grupo dispõe dos seguintes instrumentos para desenvolvimento de suas atividades:
1) módulo simultâneo TG/DTA Q-600, e calorímetro exploratório diferencial Q-10 controlados por um sistema TA-6000
2) Potenciosatato/galvanostato PG-Stat 30 Ecochemie, com módulos para varredura rápida e aquisição de dados de baixas correntes;
3) Potenciostato CV-50 BAS, com eletrodo rotatório, software para simulaçào eletroquímica e célula de análise c/ amplificador para baixas correntes;
4) Espectrofotômetro Genesis 20;
5) Fotômetro de Chama Digimed;
6) pH-metros, condutivímetro e seus respectivos eletrodos e células de medida;
7) bomba peristáltica, moinho, mesa agitadora, banho termostático, agitadores magnéticos e aquecedores
8) vidraria e reagentes necessários ao desenvolvimento dos trabalhos.
Tais equipamentos foram adquiridos com auxílios da FAPESP alguns já concluídos e outros em andamento.

Linhas de Pesquisa

Descrição sucinta das linhas de pesquisa desenvolvidas pelo LATEQS
Análise térmica de complexos metálicos, fármacos e biopolímeros
Esta linha envolve as técnicas termogravimetria (TG) e a calorimetria exploratória diferencial (DSC).
Neste trabalho tem sido desenvolvidos estudos do comportamento térmico de ditiocarbamtos derivados de aminas cíclicas e metais de transição visando acompanhar a estabilidade térmica, mecanismos e cinética de decomposição dos complexos e caracterização de resíduos e intermediários.
Complexos metálicos de bases de Schiff, derivados do N,N’-bis(SalicIlideno)-1,2-ciclohexadiamina (Salcn), tem sido investigados quanto às mesmas propriedades analisadas para os ditiocarbamatos.
O interesse de tais trabalhos se deve ao fato de ques estes complexos são usados em diversas aplicações industriais, as quais envolvem o calor, e a análise da resistência térmica e intermediários pode fornecer informações quanto à aplicabilidade dos complexos e dos eventuais resíduos destas aplicações.
Na área de fármacos tem sido desenvolvidos estudos da sua estabilidade térmica, determinação por técnicas quimiométricas associadas aos resultados de TG e pureza por DSC.
Alguns estudos envolvendo biopolímeros como o ácido algínico e seus derivados, assim como quitosanas modificadas com bases de Schiff para eventual uso como modificadores de eletrodo e materiais para absorção de metais do meio ambiente também tem sido desenvolvidos.

Desenvolvimento de eletrodos para determinação de moléculas de interesse biológico
Neste caso vem sendo desenvolvidos estudos de preparação e aplicação de eletrodos com dimensões convencionais e ultramicroeletrodos para determinação de fármacos, purinas e aminoácidos.
Os ultramicroeletrodos de fibra de carbono tem sido desenvolvidos e aplicados utilizando-se suas vantagens, como aplicação em técnicas voltamétricas de varredura rápida, difusão esférica entre outras o que permite obter sensores com alta sensibilidade, após tratamento eletroquímico de superfície.
Compósitos a base de pastas de carbono tem sido modificados e aplicados na determinação de fármacos, contribuindo para no desenvolvimento de métodos alternativos rápidos e de baixo custo para determinação de princípios ativos em formulações farmacêuticas, o que apresenta interesse face aos medicamentos ditos genéricos, que carecem de controle.
As modificações destas pastas envolvem o uso de complexos de bases de Schiff e ditiocarbamtos, também utilizados nos estudos termoanalíticos.
Eletrodos compósitos a base de grafite e resina de poliuretana foram desenvolvidos e estão sendo aplicados na determinação de analitos de interesse farmacológico e ambiental.
Contribuições ao ensino de química
Algumas contribuições ao ensino de química também tem sido desenvolvidas usando extratos brutos de flores em aplicações analíticas e demonstrações, todas com caráter didático.
No ensino médio tem sido proposto o uso dos extratos na demonstração da mudança de cor em função do pH o que permite construir escalas de cores e classificar produtos de uso cotidiano dos alunos, de acordo cos os Parâmetros Curriculares Nacionais, os PCN, recomendados pelo MEC.
Também tem sido desenvolvidos jogos didáticos relacionados ao conteúdo, os quais contribuem sobremaneira no aspecto disciplinar facilitando o trabalho do professor em sala de aula.
Em nível superior os corantes naturais tem sido usados para ensino de princípios de métodos óticos de análise, como indicadores em titulações ácido-base, na deteção por análise em fluxo, entre outros

Técnicas Empregadas

Análise térmica: TG e DSC

Técnicas Voltamétricas em geral

Fotometria de chama

Espectrofotometria

Grupo

Laboratório de Análise Térmica, Eletroanalítica e Química de Soluções - LATEQS Página do Grupo

Integrantes